PRENSA

Sobrevoando a América Latina e o Caribe com o Administrador Interino da FAA

Na semana passada, em nosso 11º ALTA Pan American Aviation Safety Summit em São Paulo, tive o prazer de conversar com Billy Nolen, Administrador Interino da FAA, e saber mais sobre os principais projetos que estão sendo desenvolvidos na região, especialmente no Brasil, México, o Caribe e América Central, mercados que estão alcançando uma notável recuperação em relação às demais regiões do mundo.

14 jun. 2022

ALTA NEWS - Sobrevoando a América Latina e o Caribe com o Administrador Interino da FAA

Caros colegas,

Na semana passada, em nosso 11º ALTA Pan American Aviation Safety Summit em São Paulo, tive o prazer de conversar com Billy Nolen, Administrador Interino da FAA, e saber mais sobre os principais projetos que estão sendo desenvolvidos na região, especialmente no Brasil, México, o Caribe e América Central, mercados que estão alcançando uma notável recuperação em relação às demais regiões do mundo.

Por isso, hoje tenho o prazer de compartilhar com vocês esta edição do Sobrevoando a América Latina e o Caribe para que todos possam saber mais sobre a parceria que temos com a FAA e os esforços que estão desenvolvendo para continuar elevando os padrões de segurança.

Destaco uma afirmação que considero muito importante para a cultura de segurança, que aplica a todos os stakeholders da cadeia de valor do transporte aéreo e que é: “Segurança não é “uma e pronto”. É uma viagem”, certamente são esforços de longo prazo e, como diz o administrador Nolen, temos tecnologias que nos permitem coletar, analisar e compartilhar dados e transformar esforços de segurança em esforços preditivos.

Desejo-lhe uma boa leitura e até um próximo voo,

 

José Ricardo Botelho

 

Q1. Quais são os principais projetos na América Latina e Caribe?

 A1. A FAA tem esforços contínuos para melhorar e avançar a segurança da aviação no Brasil, México, Caribe e América Central/Panamá. Alguns dos destaques estão listados abaixo.

No Brasil, especialistas no assunto Commercial Space Transportation da FAA se reúnem regularmente com funcionários da Agência Espacial Brasileira (AEB) desde 2019 para compartilhar os regulamentos dos EUA e as melhores práticas de segurança pública. Esse compartilhamento permitiu que a AEB modelasse as regulamentações existentes de transporte espacial comercial da FAA à medida que desenvolvem regulamentações para o Brasil. A FAA está trabalhando em estreita colaboração com a AEB no desenvolvimento de suas capacidades no espaçoporto de Alcântara, que é o maior e mais importante espaçoporto da América Latina. A FAA também está em parceria com outras agências governamentais dos EUA e entidades brasileiras de aviação em segurança cibernética para a aviação civil.

O México é o maior destino para passageiros aéreos dos EUA, portanto, garantir a segurança do público que viaja é nosso objetivo comum. Continuamos a fornecer assessoria técnica à Autoridade de Aviação Civil Mexicana para ajudar a colocar seu sistema de aviação em conformidade com os padrões internacionais estabelecidos pela Organização de Aviação Civil Internacional (ICAO). Além disso, a FAA trabalha em estreita colaboração com o México em outras questões importantes da aviação civil, como segurança cibernética e incorporação de drones no já complexo espaço aéreo.

A FAA e 16 Autoridades de Aviação Civil do Caribe criaram o “Caribbean Aviation Resilience and Recovery Group”, ou “CARRG”, em 2019, para fortalecer a coordenação sobre a resiliência da aviação civil e a recuperação de eventos de emergência na região. O CARRG se reúne trimestralmente para compartilhar informações sobre as melhores práticas e discutir as necessidades entre os Estados membros na preparação para desastres e resposta a emergências. Em maio de 2022, a FAA organizou uma sessão de trabalho presencial para começar a estabelecer a estrutura operacional de um programa de ajuda mútua no Caribe, que permitirá que os aeroportos se ajudem durante eventos de emergência.

No mês passado, o Escritório de Assuntos Internacionais da FAA fez parceria com a ICAO, Escritório Regional da América do Norte, América Central e Caribe para sediar a 4ª Reunião Ministros de Transportes dos seis estados membros que compõem a Autoridade de Aviação Civil do Caribe Oriental (ECCAA). A reunião forneceu aos ministros dos estados do ECCAA uma compreensão das ações necessárias para abordar as deficiências de supervisão de segurança identificadas durante o Programa de Auditoria de Supervisão de Segurança Universal da FAA e da ICAO (USOAP). Os ministros dos transportes concordaram em fornecer ao Diretor Geral do ECCAA a autoridade e o apoio manifesto de que ele precisa para desenvolver e sustentar um processo harmonizado de supervisão de segurança para os estados membros do ECCAA.

 

América Central/Panamá

Na América Central e no Panamá, a FAA está em parceria com os escritórios regionais da ICAO na Cidade do México e Lima, bem como com o Airports Council International – América Latina/Caribe para dar suporte ao pessoal aeroportuário e às autoridades da aviação civil para iniciar ou expandir o processo de certificação aeroportuária para aeroportos internacionais. De acordo com dados fornecidos pela ICAO, apenas seis aeroportos são certificados dos 21 aeroportos internacionais da Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica e Panamá. O governo dos EUA está fornecendo financiamento para que três aeroportos participem de revisões de segurança e recebam treinamento específico para melhorar seus níveis de segurança e conformidade com as Normas e Práticas Recomendadas da ICAO.

Além disso, a FAA está trabalhando com o escritório regional da ICAO na Cidade do México para criar equipes de segurança de pista em aeroportos internacionais específicos em estados da América Central. As equipes de segurança ajudarão os aeroportos e as autoridades da aviação civil a cumprirem as normas da ICAO; promover a identificação de perigos relacionados à segurança da pista; desenvolver e implementar planos de ação; coletar dados e compartilhar as melhores práticas de segurança na pista.

 

Q2. Como tem sido o trabalho entre FAA e ALTA?

 A2. A FAA e a ALTA têm um compromisso compartilhado com um sistema de transporte aéreo mais seguro e eficiente. Temos desfrutado de uma forte parceria por muitos anos e trabalhamos juntos para enfrentar os desafios de segurança e navegação aérea na América Latina e no Caribe.

Sinto-me honrado que o ALTA Pan-American Aviation Safety Summit tenha sido uma das minhas primeiras viagens internacionais como Administrador interino da FAA.

 

Q3. Alguma mensagem para os membros da ALTA?

A3. A FAA valoriza sua parceria com a ALTA e espera uma colaboração ainda maior no futuro em nossos esforços contínuos para melhorar a segurança, eficiência e sustentabilidade em toda a região da América Latina e Caribe. Esperamos continuar a ver um crescimento significativo da aviação, principalmente no Brasil e em outros países da América Latina.

 

Q4. Qual é a sua visão para a FAA nos próximos anos? Onde está o foco?

 A4. A missão contínua da FAA é fornecer o sistema aeroespacial mais seguro e eficiente do mundo. A FAA se concentra continuamente em como garantir a segurança do voo, ao mesmo tempo em que adota tecnologia e inovação emergentes. A agência está trabalhando na criação de regras para que os drones possam operar com segurança além da linha de visão. Também nos próximos dois anos, haverá orientações sobre como as aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical irão operar em áreas tradicionalmente utilizadas por aeronaves para serviço de passageiros e carga. O objetivo é ter uma indústria segura, eficiente e adaptável a um ambiente em constante mudança.

 

Q5. Lendo o seu currículo, podemos ver que o Safety marcou a sua carreira. Na sua opinião, quais são os maiores desafios para os profissionais de Safety de hoje?

A5. A FAA tem sido bem sucedida em adotar uma abordagem proativa para a segurança da aviação. Nosso objetivo agora é nos tornarmos preditivos. Vimos os benefícios dos Sistemas de Gerenciamento de Segurança, ou SMS, na redução do risco de segurança para a aviação comercial, e é por isso que estamos trabalhando para expandir os requisitos de SMS para fabricantes, aeroportos e prestadores de serviços de aviação. E a partir de iniciativas proativas como SMS, gerenciamento de risco de fadiga e outros esforços, obtivemos uma quantidade significativa de dados de segurança. Quanto mais pudermos coletar, analisar e compartilhar dados de segurança e discutir questões de segurança de forma aberta e transparente entre as partes interessadas em todo o mundo, melhor poderemos alcançar um sistema de segurança de aviação totalmente preditivo. O quadro de segurança continua a mudar. Não podemos nos acomodar. A segurança não é “um e pronto”. É uma viagem. Como organizações de segurança, devemos continuar a melhorar nossa cultura de Safety. Devemos continuar aprendendo e compartilhando as melhores práticas, à medida que integramos as inovações revolucionárias que estão acontecendo no setor de aviação atualmente. Isso inclui usuários novos e emergentes, como drones, mobilidade aérea avançada e transporte espacial comercial; bem como jatos executivos supersônicos, aeronaves com motores alternativos, balões não tripulados de longa duração de alta altitude e outras aeronaves inovadoras ainda em fase de desenvolvimento.

 

Q6. Em termos de Safety, o que a FAA está trabalhando e qual o papel da ALTA para apoiar?

 A6. Estamos expandindo os recursos de análise de dados de SMS e segurança. Também estamos trabalhando na criação de regras para acomodar drones operando no modo além da linha de visão (BVLOS) com segurança e fornecer orientações sobre como integrar com segurança aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical no sistema do espaço aéreo. Como o setor está em constante evolução, é imperativo que organizações de segurança como a nossa colaborem e compartilhem informações de segurança. Sempre haverá inovações e tecnologias que exigem que a FAA compartilhe o espaço aéreo, mas temos que ser ágeis e coexistir com segurança. As melhores práticas serão primordiais para compartilharmos à medida que essas novas oportunidades na aviação surgirem.

Sobre a ALTA

ALTA é uma associação privada sem fins lucrativos ao serviço da indústria aérea cujo objetivo é desenvolver uma aviação mais segura, eficiente e sustentável na América Latina e no Caribe. A ALTA coordena esforços colaborativos ao longo de toda a cadeia de valor maximizando o impacto que tem a aviação no crescimento econômico e social da região para o benefício da indústria, das nações e da população servidas pelo transporte aéreo. www.alta.aero

 

Conheça os membros da ALTA: https://www.alta.aero/membros/?lang=pt

Siga as notícias da ALTA no Twitter @ALTA_aero e no LinkedIn

Contacto com a imprensa:
Nicole Lorca
+1 786 516 0850
nlorca@alta.aero




SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

   
CONTATE-NOS
+507 381 9061
Bella Vista, Calle 43 Este, PH Colores de Bella Vista, Piso 6 Oficina 6G, Panamá

+1 786 388 0222
1313 Ponce de Leon BLVD suite 201, Coral Gables, FL 33134, USA